7.8.14

Resenha: Glimmerglass - Jenna Black


Glimmerglass - O Encontro de dois mundos
Autora: Jenna Black
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 294
Lançamento: 2011
Série: Faeriewalker
Ficção - Literatura Infanto-Juvenil
Nota: 4/5










Sinopse:
Dana Hathaway ainda não sabe, mas vai acabar se metendo em apuros quando decide que é a hora de fugir de casa para encontrar seu misterioso pai na cidade de Avalon: o único lugar na Terra onde o mundo real e o mágico se cruzam. No entanto, assim que Dana põe os pés em Avalon, tudo começa a dar errado, pois ela não é uma adolescente comum – ela é uma faeriewalker, um indivíduo raro que pode viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia a cidade de Faerie. . Não demora muito e Dana envolve-se no jogo implacável da política do mundo da magia. Alguém está tentando matá-la, e todos parecem querer alguma coisa dela, desde seus novos amigos e da família até Ethan, o lindo garoto com poderes fantásticos com quem Dana acha que nunca terá uma chance… Até ter uma. Presa entre esses dois mundos, Dana não sabe bem onde se encaixa ou em quem pode confiar, muito menos se sua vida um dia voltará a ser normal.
Hey! Quem nos acompanha pelo instagram viu que eu usei este livro na tag #fotografeolivro no dia 2 "Julgue um livro pela capa". A capa deste livro não é nada mais que maravilhosa! Mas não posso falar tanto assim da leitura, não foi um livro ruim, longe disso, mas não foi bem o que eu esperava. 

Para quem gosta de livro de feéricos vai adorar este, Dana é uma adolescente de 16 anos que já cuida bem de si mesma pois sua mãe está sempre embriagada, desde pequena Dana sabe que seu pai é um feérico, apenas pelas histórias que sua mãe conta, tanto sóbria quanto bêbada. Após perder a paciência com sua mãe depois de um recital Dana foge a encontro de seu pai, cujo nome ela achou facilmente na lista telefônica que conveniente não é?. Lá em Avalon ela corre vários perigos e acaba conhecendo Ethan e Kimber, que são irmãos, ela se apaixona por Ethan, mas claramente ele é uma cilada e mais velho que ela, assim achando que não tem chance Dana apenas o admira de longe, até ter uma chance com ele. Descobrindo ser uma Faeriwalker, a vida dela corre perigo e toda a história gira em torno disso.

Eu não fui com a cara de Dana, do começo ao fim do livro achei ela egoísta. Sinceramente ela não tem nenhuma piedade da mãe, não sabe seus motivos por beber tanto, não confia em seus conselhos para ficar longe de Avalon, em certa parte ela descobre que a mãe não é aquilo que ela tanto julgava e que ter fugido não foi sua melhor escolha. Mas Dana não é lá a pior pessoa, não gostei muito de seu jeito, mas mesmo assim senti compaixão, já que ela não teve tanta culpa assim, passou a infância aos cuidados da mãe embriagada, tem diversos motivos para fugir. Já sobre seu conceito com homens, meus deuses que garota atirada! Todo feérico que ela via já dizia ser o maior deus grego, se segura minha filha!! Ela fala bem de Ethan e de mais vários caras gatos que ela vê pro ai, isso me irritou um pouquinho, acho que a autora poderia ter maneirado nessas áreas, Dana parece uma desesperada por homens. Ethan se mostra maravilhoso, em aparência, mas o caráter dele me chateou, ele é um tremendo babaca, mas no final se mostra menos cafajeste. Já a irmã dele, Kimber, é bem magoada, até entendo seu ponto, mas não diria que ela devia ser tão dura, ela tem um bom humor perto de Dana, mas como Dana diz: Ethan aflora o pior lado de Kimber. Alguns outros personagens como a Tia Grace, tia de Dana, me irritaram por serem tão arrogantes e cheios de si, mas fizeram uma parte considerável da história.

A história em si é interessante, fiquei curiosa sobre Avalon e seus segredos, gostaria que a autora tivesse usado mais o "local" ao seu favor. O pai de Dana é um homem complicado e não conseguimos decifrar o que ele tanto quer no livro, eu dei algumas risadas em algumas partes, e isto é um bom ponto, já que livros sérios de mais me irritam. A narrativa é crua, com algumas palavras meio rebuscadas, mas dá pra entender bem e não precisei de dicionário em nenhum momento, mas tenho certeza que um publico mais jovem, em torno de 10, 11 anos, poderia ficar confuso. O livro não é Infanto-Juvenil como diz na classificação, não acho que seja um bom livro pra pré-adolescentes já que muitas partes dele tem um linguajar sério, um livro para mim ao ser considerado infanto-juvenil tem que ser realmente feito para pessoas com menos de 15 anos. Espero que isto não desanime muitas pessoas lê-lo, já que não é uma história ruim, eu estou interessada na continuação, e recomendo este livro. 

A autora fez um bom livro, mas certas coisas me tirar do sério e eu esperava mais de uma capa tão bela, acho que a frase nunca julgue o livro pela capa é bastante verdadeira, haha!

Com amor, Bea. 




6 comentários:

  1. Oi, Bia, gostei muito da sua resenha, você escreve muito bem. Concordo com voce, este livro tem partes boas e originais, mas poderia ser melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Obrigada pelo comentário ^^

      Excluir
  2. Fadas são um dos seres mitológicos que mais gosto e ainda assim nunca li um livro sobre isso ! Conheci Glimmerglass no livro da Bookshelf tour da Pam do Garota It e fiquei super interessada. Espero conseguir lê-lo em breve <3

    - Bia

    www.nasuaestanteblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu recomendo o livro! Mas procure também a saga do Rei de Ferro, é uma ótima série sobre fadas para começar a ler.

      Excluir
  3. Você realmente saiu a mim. Escreve muito bem! Para conhecer mais Avalon deveria ler As Brumas de Avalon. ele fala muito sobre esta ilha mágica e misteriosa onde foram criadas as mulheres da família do Rei Arthur. Muito legal! Beijos!

    ResponderExcluir